Compliance e o sucesso das empresas

December 13, 2018

Uma das principais preocupações das empresas está, sem dúvida, relacionada às diferentes maneiras de se destacar no mercado e fortalecer a sua imagem frente aos clientes. Para que o sucesso seja alcançado, é preciso que os administradores das empresas escolham a maneira que mais se adeque à sua realidade e estrutura.

 

Existem diversas formas de fazer isso, uma delas é observar os rumos e as decisões tomadas por empresas que já se destacam no mercado, que apresentem um trabalho de excelência e transmitem confiança aos clientes e investidores de seu serviço. Nesse sentido, um dos recursos mais utilizados e, frequentemente, com maior retorno para os empresários, é o Serviço de Compliance , também chamado de Governança Corporativa, garantidor de maior robustez e eficiência para os negócios.

 

O que é o serviço de Compliance?

 

O Serviço de Compliance consiste em um sistema de regras e práticas que possibilita guiar uma empresa à conformidade legal, utilizando mecanismos de controle e incentivo, levando em consideração as regulações nacionais e internacionais, além das variáveis de mercado específicas em cada ramo empresarial e de cada companhia. Assim, o Compliance é um serviço moldado às especificidades de cada empresa.

 

Ele exerce uma função imprescindível no sentido de prevenir sanções, principalmente jurídicas, em diversas esferas e, em razão da extensa e complexa rede de regulamentos e leis existentes, que cria um ambiente hostil a empresas despreparadas, a contratação desse serviço mostra-se favorável à sua manutenção no mercado, visto que gera segurança empresarial frente a questões jurídicas e o mercado.

 

Essa Governança Corporativa sonda as atividades exercidas pela empresa, as adequa às exigências estabelecidas pelos órgãos reguladores e pelas normas como um todo. A segurança jurídica oferecida às empresas faz com que, para muitos, seja muito mais que um serviço para se manter fiel às normas, e sim um novo remédio anticorrupção disponível às companhias que tem como escopo reduzir os problemas relacionados à administração e gerência, auxiliando na incorporação de mecanismos empresariais internos e externos de maior transparência, ética, integridade das informações, adoção de modelos confiáveis de gestão e conformidade com a regulamentação.

 

Os principais problemas enfrentados por empresas na ausência desse serviço

 

Após compreender melhor a natureza desse serviço, cumpre ressaltar os problemas principais que acompanham as empresas que não possuem uma boa estrutura de Compliance, ou seja, uma boa Governança.

 

Entre eles, podemos citar a falta de confiança dos investidores, tanto acionistas quanto credores que, quando não munidos de uma proteção legal, evitam investir, independente do tipo de atividade empresarial. Isso se dá por uma lógica bem simples: investidores desejam que sempre haja uma certeza de retorno do que foi repassado ao negócio escolhido. Assim, prezam sempre pela transparência, confiança e ética dentro da companhia. A obscuridade dentro de empresas afasta esses investidores, prejudicando tanto o negócio quanto a economia do país.

 

O aumento dos riscos é outro obstáculo a ser enfrentado por companhias que optam por não desfrutar de um programa de Compliance. Ao respeitar a ordem jurídica, se evita a materialização dos riscos, sendo, portanto, fundamental à perenidade de uma empresa reconhecer e gerenciar os possíveis e prováveis riscos de seus atos. Uma boa Governança Corporativa traz controle aos riscos atinentes a qualquer empresa.

 

Como esse serviço pode otimizar as atividades e os lucros de uma empresa?

 

A introdução de uma boa Governança dentro das empresas implicará em uma gestão estratégica, otimizando as suas atividades de modo a alocar os recursos financeiros e humanos de maneira mais apropriada e condizente, tanto com a realidade da empresa quanto  à realidade econômica global, respeitando as diretrizes normativas e regulamentares.

 

Esse tipo de administração beneficia tanto as pessoas diretamente associadas às empresas, como empregados e sócios, quanto terceiros, como acionistas e credores. Portanto, para a manutenção e sobrevivência das empresas, o alinhamento de interesses entre essas partes é primordial

 

Conclusão

 

O Compliance mostra-se como ferramenta essencial no âmbito empresarial, auxiliando as companhias a se destacarem por meio da implementação de um modelo de negócio que abrange práticas e atividades que evitem problemas relacionados à falta dessa Governança Corporativa, em um mercado que, a cada instante, torna-se mais concorrido. Dessa, forma, deve ser sempre valorizado como mecanismo de fruição das relações econômicas entre acionistas, administradores, empregados, diretores, credores ou qualquer outra figura que faça parte desta teia empresarial.

 

Para isso, é necessária a implementação de um modelo empresarial que permita transparência, eticidade, integridade das informações, adoção de modelos confiáveis de gestão e conformidade com a regulamentação, possíveis de serem implementados por meio do serviço de Compliance. Evita-se, desse modo, que a empresa perca investidores, fique atrasada às novas demandas do mercado ou aumente seu risco perante o mercado.

 

Autores

 

Andressa Martins dos Santos de Luca Ribeiro 

Eduardo Dib Maximiano Junqueira

Felipe Guimarães

 

Referências Bibliográficas

 

ASSUNÇÃO, R.; LUCA, M.; VASCONCELOS, A. Complexidade e governança corporativa: uma análise das empresas listadas na BM&FBOVESPA. Revista Contabilidade & Finanças, v. 28, n. 74, p. 213-228, 1 ago. 2017.

 

CASTRO JUNIOR, F. ; CONCEICAO, P. ; SANTOS, D. A relação entre o nível voluntário de transparência e o custo de capital próprio das empresas brasileiras não-financeiras. REAd. Rev. eletrôn. adm. (Porto Alegre),  Porto Alegre ,  v. 17, n. 3, p. 617-635,          Dec.  2011 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-23112011000300002&lng=en&nrm=iso>. Acesso em                                                     18  Nov.  2018. 

 

JACOMETTI, M. Considerações sobre a evolução da governança corporativa no contexto brasileiro: uma análise a partir da perspectiva weberiana. Rev. Adm. Pública,  Rio de Janeiro ,  v. 46, n. 3, p. 753-773,                                                           jun.  2012 .   Disponível em                                       <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122012000300007&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em                                                      18  nov.  2018. 

 

VIACOM, M. ; MARTINEZ, J. Six Keys to Compliance Perspectives from the field. Disponível em: https://thepractice.law.harvard.edu/article/six-keys-to-compliance/. Acesso em 10 dez. 2018.

 

KELMAN, H. C. Compliance, identification, and internalization: Three processes of attitude change. Journal of Conflict Resolution. 1958; 2 p. 51-60.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Compras online: direitos, deveres e procedimentos

November 19, 2019

1/7
Please reload

Posts Recentes

October 29, 2019